quinta-feira, 21 de fevereiro de 2019

Ensino da computação exige professores capacitados

É visto ultimamente a importância da computação na educação. Dessa forma, inquieto com a deficiência na formação de profissionais capacitados para a área da computação, o Conselho Municipal de Ciência, Tecnologia e Inovação (Comciti) promoveu no último dia 14 em Santa Cruz do Sul (RS), o seminário Educação e computação – preocupação com nosso amanhã.

O evento realizado no auditório da Associação de Entidades Empresariais de Santa Cruz do Sul (Assemp), revelou que é necessário preparar os professores para a implementação das disciplinas de computação no currículo. A pesquisadora da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Ufrgs) e integrante da Sociedade Brasileira de Computação, Leila Ribeiro (e primeira palestrante do evento) declarou que em vários países o conteúdo de informática já está difundido nas escolas. “Falta hoje uma sistemática organizada para que esse ensino seja implementado.” A pesquisadora continua: “A gente precisa de professores que consigam transmitir os conceitos de computação. É mais fácil comprar computadores e montar o laboratório do que capacitar os educadores.” Leila ainda declara que o ensino de computadores já existe em várias regiões brasileiras, porém apenas nas redes de ensino privadas.

Porém, o assunto não tem grandes proporções nas escolas públicas. “Com o tempo, isso só aumentará as desigualdades, pois a mão de obra que domina esse conteúdo será empregada e os demais continuarão no desemprego.” Segundo o vice-presidente da Assemp, Eduardo Kroth, o Fórum de Tecnologia e Inovação, da Associação Santa Cruz Novos Rumos, propõe a instalação do projeto Cidades Inteligentes, com uso da tecnologia e da computação. “No entanto, não adianta investir em tecnologia e inteligência, se a população não está capacitada. Estamos falando de empregabilidade, é uma discussão que está atrasada há dez anos.”

O texto original foi publicado no site Gazeta do Sul.

Nenhum comentário:

Postar um comentário