segunda-feira, 15 de abril de 2019

Polícia americana aumenta pedidos de localização de usuários do Google

Segundo o jornal americano New York Times, os pedidos das forças americanas provenientes de localização dos usuários do Google aumentou exponencialmente nos últimos seis meses.

O jornal ainda afirma que em uma semana foram registrados mais de 180 pedidos. Algumas solicitações referem-se a um perímetro virtual (também chamado de geofence), ou seja, a polícia deseja saber quais usuários atravessaram uma determinada área em um determinado horário.

Em primeiro momento, os dados dos usuários são privados, mas os mesmos podem ser seguidos de nomes e outras informações se forem justificados pela polícia.

A ferramenta de localização está disponível desde 2009. A empresa Google declara que tais dados só podem ser divulgados se permitidos pelos usuários e que o histórico ainda pode ser desativado nas configurações do Google Maps. No entanto, em 2018 a Agência de notícias Assosiated Press afirmou que essas informações são falsas, e que o Google guarda localização de seus usuários mesmo sem autorização.

Nenhum comentário:

Postar um comentário